Chá de Amora-branca (Guia Completo)

2

Chá de Amora-branca: Benefícios, Indicações, Como Preparar, Propriedades Terapêuticas

Chá de Amora-branca – A amora-branca é uma espécie de planta flor originária da China.

Na mitologia grega, a árvore de amora foi dedicada à deusa Minerva. A amoreira era considerada a mais sábia de todas as árvores, vez que esperava passar todo o período de frio para brotar suas folhas. O nome amora provém do nome latim morari, que significa demorar.

É rica em fibras, ferro, cálcio, vitamina C, vitamina E, vitaminas do complexo B e vitamina K.

Essa planta possui propriedades medicinais com ações antioxidante, anti-inflamatória, cicatrizante, bactericida, diurética, regula o intestino, diminui a glicose do sangue, ajuda a combater a menopausa, possui propriedades renais, entre muitos outros benefícios.

As folhas de amora-branca são muito empregadas na medicina alternativa chinesa como remédio para tosse, resfriado seguido de febre, dor de cabeça, garganta irritada e pressão alta e os frutos são usados para tratar anemias e constipação.

Além de propriedades e uso ligeiramente diferentes, as partes da planta possuem propriedades energéticas diferentes.

A amoreira-branca serve para alimentar os bichos-da-seda.

A espécie Morus spp faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

chá de amora-branca nutriela chá ellegance 60 sachês guia completo2

Uso na Culinária

Na culinária, os brotos jovens da árvore da amoreira são comestíveis ao serem cozidos. As frutas são usadas em tortas, pudins, vinhos e saladas de frutas.

As frutas são geralmente consumidas ao natural e podem ser servidas também com creme de chantilly.

São igualmente deliciosas quando utilizadas no preparo de tortas, sorvetes, compotas, geleias, doces cristalizados ou em massa, ou transformadas em vinhos, licores e xaropes.

Nome Popular

Amora-branca, amora, amoreira-branca.

Chá de Amora-branca – Nomenclatura científica

Morus alba  L.

Chá de Amora-branca – Fórmula

Componentes: folhas, ramos, raiz, casca das raízes, frutos. 10 gramas

Quantidade: água 150 mL

Chá de Amora-branca – Orientações para o Preparo

Infusão. Usar 10 gramas de folhas em 150 mL de água.

Chá de Amora-branca – Propriedades Terapêuticas

Tônico, laxante (fruto), antibacteriana, expectorante, sudorífero (folha), antirreumática, analgésica (casca), sedativa, diurética, expectorante (casca da raiz).

Chá de Amora-branca – Indicações

Usada na medicina tradicional chinesa há séculos, contêm substâncias que são benéficas na prevenção e para aliviar diabetes.

Possui outros usos populares:

  1. Folha: constipações, gripes, inflamações dos olhos, elefantíase;
  2. Fruto: incontinência urinária, hipertensão, branqueamento prematuro do cabelo, diabetes.
  3. Casca da raiz: asma, bronquite, diabetes, tosse.
  4. Raminhos: hipertensão, reumatismo, dores de dentes.
  5. Para prevenir e aliviar os sintomas da menopausa ou climatério.
  6. Ações farmacológicas: analgésica, anti-inflamatória, anti-artrítica, hipo-lipidêmica, diurética.
  7. Há algumas evidências de sua ação estrogênica e antidiabética.

Chá de Amora-branca – Modo de usar

Uso Interno. Acima de 12 anos. Infusão. Usar de 3 a 5 folhas secas de folhas de amora ou uma colher (sopa) de folhas de amora trituradas em 1 xícara de água. Tomar 3 xícaras por dia.

Cataplasmas:

Usar um punhado de folhas, colocar num recipiente com 2 colheres (sopa) de água. Aquecer até que o líquido evapore. Pegar as folhas, colocar sobre uma gaze e aplicar morno, deixando sobre a pele até esfriar.

Repetir mais duas vezes: para dermatoses, eczemas e erupções cutâneas.

Frutos “in natura”, lavados, de manhã em jejum:

Inflamações de garganta e da boca.

Suco do fruto “in natura”:

Fazer bochechos e gargarejos para inflamações de garganta e da boca.

Inflamações da boca:

Espremer alguns punhados de amoras, ainda que não totalmente maduras, recolhendo o líquido em uma tigela. Fazer bochechos frequentes com este suco diluído em pouca água.

Dor de dente. Decocção:

Preparar em fogo moderado, ferver 40g de raízes de amoreira em meio litro de água, até que fique reduzida à metade. Depois de morno, filtrar o líquido e empregá-lo em bochechos.

Diurético:

Deixar em infusão até amornar, um punhado de folhas secas de amoreira em um litro de água fervente. Filtrar o líquido, bebendo-o em cálice durante o dia para que produza efeito diurético.

Garganta e Tosse. Xarope:

Esmagar ao máximo algumas amoras e recolher o suco em um recipiente de alumínio esmaltado ou de vidro. Adicionar açúcar numa quantidade que tenha o dobro do peso do suco e colocar em fogo brando.

Quando esta mistura adquirir a consistência de xarope, deixá-la esfriar e guardá-la num vidro bem fechado, conservando-o em local fresco e escuro.

Para as inflamações da garganta, devem-se diluir duas colherinhas do xarope em um cálice de água morna, empregando-a em gargarejos.

Em caso de tosse, dissolver uma colherinha do xarope em uma xícara de água quente e tomá-la.

Estômago (inapetência). Decocção:

Ferver 20g de cascas de amora-branca em meio litro de água. Filtrar o líquido e adoçá-lo, tomando-o em cálice meia hora antes das refeições.

Intestino (prisão de ventre). Decocção (laxativa):

Usar em meio litro de água, ferver 15g de raiz e casca de amoreira misturadas. Quando o líquido ficar morno, filtrá-lo e adoçá-lo com mel. Beber metade pela manhã em jejum e o restante à noite, antes de deitar.

Para obter-se um laxativo de efeito mais rápido, deve-se aumentar em até o dobro a quantidade de casca e raiz, ou seja, 30g das cascas e raízes misturadas, regulando-se a quantidade de acordo com as reações do organismo a este tipo de purgante.

Também os frutos ingeridos frescos e temperados com um pouco de açúcar, especialmente da variedade negra, ajudam no funcionamento do intestino.

Pele (dermatose, eczema, erupções cutâneas). Cataplasma:

Colocar um punhado de folhas frescas de amoreira, depois de lavadas e enxugadas, em um recipiente com uma ou duas colheres de água, aquecendo-o até o líquido evaporar.

Estender as folhas sobre uma gaze, esmagá-las um pouco fazendo sair todo o líquido e aplicá-las quentes (mas não ferventes) sobre a região afetada. Quando a compressa esfriar, renová-la mais duas vezes.

Pressão sanguínea alta. Infusão:

Colocar um punhado de folhas frescas de amoreira em meio litro de água fervente. Depois de morno, filtrar o líquido, bebê-lo em cálices no decorrer do mesmo dia em que foi preparado.

Febre:

Usar de 40 a 80 g de folhas por litro em infusão.

Diabetes. Infusão:

Utilizando as folhas, 1 xícara 4 a 6 vezes ao dia.

Chá de Amora-branca – Advertências

As amoras verdes e a seiva podem apresentar baixo grau de toxidade quando consumidas.

Veja também:

Fontes Consultadas:

  1. BALBACH, A. As Plantas que Curam. Editora Missionária, São Paulo, 2a ed., 1992.
  2. BALMÉ, F. Plantas Medicinais. Editora Hemus, São Paulo, 2004.
  3. LORENZI, H. Árvores Brasileiras. Instituto Plantarum, Nova Odessa (SP), v.2, 1998.
  4. YARZA, O. Plantas que Curam & Plantas que Matam. Editora Hemus, São Paulo, 1982.
  5. MOREIRA, F. As Plantas que Curam Através da Natureza. Editora Hemus, São Paulo, 1978.
  6. MORGAN, R. Enciclopedia das Ervas e Plantas Medicinais. Editora Hemus, São Paulo, 2003.
  7. The Plant List: Morus alba
Share.

2 Comentários

  1. Pingback: Chá de Amora-preta (Guia Completo) - Nutriela

  2. Pingback: Chá de Anis-estrelado (Guia Completo) - Nutriela

Leave A Reply

©Desenvolvido por  Loja Online Consultoria | 2014.