Chá de Anis (Guia Completo)

5

Chá de Anis: Benefícios, Indicações, Como Preparar, Propriedades Terapêuticas

Chá de Anis – Originária do Oriente Médio, o anis vem sendo cultivado no Egito, na Ásia Menor e nas Ilhas Gregas há mais de mil anos.

Quando o Império Romano absorveu a cultura grega, também passou a cultivá-lo, estendendo-o às costas do Mediterrâneo, França e Inglaterra.

Conhecida desde os tempos dos antigos egípcios, seu sabor está presente em alimentos, licores, balas, sabonetes e cremes.

As propriedades curativas do anis (erva-doce) são encontradas nas sementes e no óleo da fruta seca.

Além de emprestar seu perfume a guloseimas e cosméticos é indicada contra gases e evitar cólicas no estômago e intestino, isso porque é rica em óleos essenciais que agem na musculatura abdominal.

Possui ação expectorante e pode ser utilizada para combater bronquite e tosses crônicas.

O óleo pode servir de base para a criação de uma pomada aplicada diretamente no combate de piolhos. O óleo é rico em anetol, um composto aromático responsável pelo aroma e sabor do vegetal e que também auxilia contra cólicas intestinais e flatulência.

As sementes de anis facilitam a digestão e são muito apropriadas para crianças que sofrem de diarreia. Adoçada com mel, sua infusão alivia a flatulência e asma. Se acrescentar funcho ao chá de anis, obtém-se um ótimo remédio para catarros bronquiais.

Utilizado junto ao açúcar na forma de xarope, é um excelente expectorante. Mascar sementes de anis ajuda a conciliar o sono, e tomá-las com água faz desaparecer o soluço.

O anis tem uso científico comprovado como antidispéptico (problemas digestivos) e antiespasmódico (contração de músculo).

chá de anis nutriela chá ellegance 60 sachês guia completo

Chá de Anis – Nomenclatura Popular

Anis e erva-doce.

Chá de Anis – Nomenclatura Científica

Pimpinella anisum L.

Chá de Anis – Fórmula

Componentes: sementes. 30 gramas

Quantidade: água 1L

Chá de Anis – Orientações para o Preparo

Infusão. Usar 30 g de sementes de anis em um litro de água quente.

Chá de Anis – Propriedades Terapêuticas

Digestivo, expectorante, carminativo (redução dos gases intestinais), desinfetante, antidispéptico e antiespasmódico.

Chá de Anis – Indicações

Age contra cólicas infantis, gastrite nervosa, enxaquecas (especialmente as provocadas por problemas digestivos). Também é indicada como purificador do hálito.

Uso na aromaterapia:

Aromaterapeutas utilizam a essência do anis para relaxamento e reduzir a insônia.

Uso na culinária:

As sementes, por conterem óleo essencial, são excelentes para preparo de alimentos, temperar peixes, aves e também ser utilizadas em cremes, sopas e molhos.

Bolos doces, biscoitos também podem levar o toque doce desta erva, que tem muita afinidade com frutas frescas, especialmente figos.

As folhas já possuem aroma mais delicado. Pode-se consumi-las frescas na forma de salada, com vegetais ou queijos em creme.

Chá de Anis – Modo de Usar

Uso Interno. Acima de 12 anos. Infusão. Intestino. Usar 30 g de sementes de anis em um litro de água fervente. Filtrar quando o líquido estiver morno e tomar uma xícara, após cada refeição.

Para aliviar enjoos coloque 3 colheres de sopa da semente em 1 garrafa de vinho branco. Deixe descansar por dez dias e coe. Tome um cálice antes das principais refeições.

Afecções intestinais (gases e cólicas), desinfetante intestinal, dores de cabeça (origem digestiva), gastrite (origem nervosa) e cólicas infantis. Colocar 1 colher (sobremesa) de sementes em uma xícara de água fervente, abafe por 10 minutos e coe. Tome uma xícara de chá 3 vezes ao dia.

Chá de Anis – Advertências

O anis é seguro para a maioria dos adultos e também para crianças em pequenas quantidades.

O óleo essencial em altas doses é tóxico. Sua aplicação combinada com outra ervas no couro cabeludo também é seguro. A erva-doce pode agir como estrogênio, portanto, mulheres com condições hormonais sensíveis devem evitar o uso.

Em caso de reações alérgicas, suspender o uso imediatamente. O uso não tem contra-indicaçõe desde que seja nas doses indicadas.

Em altas dosagens, o óleo essencial pode provocar efeitos tóxicos. Grávidas não devem usá-lo.

Veja também:

Fontes Consultadas:

  1. PANIZZA, S. Plantas que Curam – Cheiro de Mato. IBRASA, São Paulo, 4a ed., 1997.
  2. BALMÉ, F. Plantas Medicinais. Editora Hemus, São Paulo, 2004.
  3. Plantas que Curam. Editora Três
  4. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. ANVISA, 1ª ed., p. 51, 2011.
  5. The Plant List: Pimpinella anisum
Share.

©Desenvolvido por  Loja Online Consultoria | 2014.