Chá de Arruda (Guia Completo)

2

Chá de Arruda: Benefícios, Indicações, Como Preparar, Propriedades Terapêuticas

Chá de Arruda – A arruda é um arbusto, originário do sul da Europa e norte da África.

É considerada uma erva purificadora, que limpa ambientes, protege as pessoas, atrai bons fluidos e afasta mau-olhado. Na Idade Média, acreditava-se que a arruda defendia as pessoas contra a peste negra.

Leonardo da Vinci e Michelangelo afirmavam que, graças aos poderes metafísicos da arruda, o seu sentido criativo e a sua visão interior melhoraram consideravelmente.

Com os ramos aspergia-se água benta sobre as multidões. Era considerada uma importante defesa contra a peste negra.

Era também um dos principais componentes da mitevidade, antídoto grego contra todos os venenos.

Esta planta apareceu nas armas da Ordem do Cardo, escocesa, e inspirou o desenho do naipe dos baralhos de cartas.

A arruda é uma planta medicinal que tem efeito sob os vasos sanguíneos, cistos e pode ser utilizada como inseticida e vermífugo, combatendo piolhos, pulgas, sarna e vermes.

A arruda serve para fortalecer os vasos sanguíneos, sendo ótima no tratamento de varizes.

Ajuda ainda a tratar dores reumáticas, aumenta a menstruação, dor de cabeça, úlceras, auxilia no tratamento de cistos.

O óleo essencial de arruda é um remédio homeopático usado há muitos séculos e aplicado na forma de compressão em feridas, contusões, esgotamento físico, varizes, hemorroidas, fortalecimento das veias capilares, pés, tornozelos e cotovelos doloridos e para a rigidez dolorosa nos pulsos e mãos.

Também pode beneficiar a pele e melhorar a condição de varizes, fissuras anais, tromboses e hemorroidas internas e externas. Em função da rutina presente em sua composição, a arruda pode ser usada topicamente para fortalecer vasos capilares fracos.

A arruda (Ruta graveolens) faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

chá de arruda nutriela chá ellegance 60 sachês guia completo

Chá de Arruda – Nomenclatura Popular

Arruda, arruda-fedorenta, arruda-doméstica, arruda-dos-jardins, ruta-de-cheiro-forte.

Chá de Arruda – Nomenclatura Científica

Ruta graveolens L.

Chá de Arruda – Fórmula

Componentes: folha e flores secas. 2 a 5 gramas

Quantidade: água 1L

Chá de Arruda – Orientações para o Preparo

Infusão. Usar 2 a 5 gramas de folhas secas em um litro de água.

Chá de Arruda – Propriedades Terapêuticas

Adstringente, analgésica, antiasmática, antiepiléptica, antiespasmódica, anti-helmíntica, anti-hemorrágica, anti-histérica, anti-inflamatória, antinevrálgica, bactericida.

Chá de Arruda – Indicações

Afecção dos rins, alterações menstruais, ansiedade, asma brônquica, bexiga, calvície, cefaleia, ciática, conjuntivite, derrame cerebral, dermatite, dores de ouvido, dor intestinal, enxaqueca, flebite, fígado, fragilidade dos capilares sanguíneos, gases, gota, hemorroidas, hipocondria, inchaço nas pernas, incontinências de urina, inflamação, inflamação nos olhos, insônia, limpeza de feridas, nevralgia, olhos cansados, onicomicose, otite, ouvido (feridas e zumbido), nevralgias, normalização das funções do ciclo menstrual (menstruação escassa), paralisia, parasitas (piolhos e lêndeas), pneumonia, prisão de ventre, repelente de insetos (pulgas, percevejos, ratos), reumatismo, sarna, varizes.

Chá de Arruda – Modo de Usar

Uso Interno. Acima de 12 anos. Infusão. Usar 2 g a 5 g de folhas secas em um litro de água. Colocar 1 litro de água em uma panela e, quando ferver, apagar o fogo. Acrescentar as folhas de arruda. Deixe descansar por 30 minutos, coe e beba em seguida. O ideal é ingerir no máximo duas xícaras de chá de arruda por dia. Indicado para estresse (esgotamento) e amenorreia (ausência do fluxo menstrual fora do período de gravidez).

Uso Interno. Vermífugo. Picar duas folhas e colocá-las em 100ml de álcool de cereais dentro de um vidro de cor âmbar. Depois de 9 dias, tomar 6 gotas da tintura em uma colher de sopa de água a noite antes de dormir, durante 10 dias.

Uso Externo. Acima de 12 anos. Infusão. Para combater a sarna, prepara-se o chá com 20 gramas em 1 litro de água, no qual se embebe um pano ou algodão, que se passa sobre as partes afetadas.

Uso Externo. Acima de 12 anos. Decocção. Usar 2 colheres (sopa) de folhas em ½ litro de água por 5 minutos. O mesmo chá é bom para lavar feridas. Também as folhas frescas e maceradas podem ser aplicadas sobre feridas e produzem bom efeito curativo.

Uso Externo. Conjuntivite. Decocção. Ferver 2 colheres (sopa) de folhas de arruda em 1/2 litro de água por 5 minutos. Coar, esperar amornar e aplicar compressas de algodão várias vezes ao dia sobre os olhos.

Uso Externo. Conjuntivite. Macerar as folhas e deixá-las de molho durante 4 horas. Lavar os olhos com água de arruda.

Normalizar o ciclo menstrual. Socar em um pilão duas folhas grandes de arruda e adicionar uma xícara de chá de água. Deixar em maceração por uma noite e coar no dia seguinte. Tomar em jejum durante os oito dias que antecedem a menstruação.

Chá de Arruda – Advertências

É necessário ter muito cuidado com a arruda, pois é uma planta TÓXICA. É venenosa e abortiva.

Não usar durante a gravidez. A arruda tem efeito especial sobre o útero, congestiona este órgão, estimula as fibras musculares, provoca-lhes a contração, ocasiona uma hemorragia grave, às vezes o aborto e a morte.

Trata-se de uma planta muito ativa, só deve ser administrada com muita prudência, quando usada internamente.

Os efeitos colaterais da arruda incluem tremores, gastroenterites, convulsões, vômito, dor abdominal, salivação e fotossensibilidade.

Alguns herbalistas consideram os tratamentos com arruda desnecessários devido à sua toxicidade conhecida. Várias pesquisas atuais tentam isolar e descobrir propriedades medicinais de algumas substâncias benéficas presentes na erva.

Também é vetado o uso durante a fase de lactação. O uso interno, mesmo em doses homeopáticas, não deve ser feito por crianças, idosos ou por pacientes com doenças cardíacas ou renais.

A seiva do talo pode causar dermatite. Medicamentos para reduzir a pressão arterial podem ter seus efeitos potencializados.

Veja também:

Fontes Consultadas:

  1. TORIANI, A.L.T. Ruta graveolens (Arruda): O conhecimento e suas particularidades. Faculdades Integradas Espírita. Monografia. Curitiba, 2006.
  2. Wikipedia: Arruda
  3. The Plant List: Ruta graveolens
Share.

2 Comentários

  1. Pingback: Chá de Artemísia (Guia Completo) - Nutriela

  2. Pingback: Óleo de Babaçu → GUIA COMPLETO - Nutriela

Leave A Reply

©Desenvolvido por  Loja Online Consultoria | 2014.