Chá de Hortelã-pimenta: Alivia Cólicas Digestivas e Reduz Inflamações nos Brônquios

3

Chá de Hortelã-pimenta: Alivia Cólicas Digestivas e Reduz Inflamações nos Brônquios

Chá de Hortelã-pimenta: a erva é originária da Europa. A hortelã-pimenta é uma das plantas medicinais mais antigas utilizadas pelo homem.

Picante e perfumada, essa erva muito usada como tempero tem duas qualidades principais, alivia cólicas digestivas e reduz inflamações nos brônquios.

Chá de Hortelã-pimenta Alivia Cólicas Digestivas e Reduz Inflamações nos Brônquios

Chá de Hortelã-pimenta Alivia Cólicas Digestivas e Reduz Inflamações nos Brônquios

Chá de Hortelã-pimenta Benefícios:

A hortelã-pimenta possui propriedades que acalmam as paredes do sistema digestivo e evitam os sintomas da síndrome do intestino irritável. Além disso, melhora a produção de bile e consequentemente a função hepática.

O seu sabor, aroma e propriedades antissépticas eliminam o mau hálito de maneira eficaz e evitam problemas bucais como gengivite e cáries.

Devido ao mentol, a hortelã é recomendada para aliviar dores, sejam musculares, causadas por atividade física ou não, dores reumáticas ou enxaquecas.

A menta é um antiparasítico e antivirótico muito forte.

O mentol também contribui para destruir bolhas de gases e é capaz de dilatar brônquios, o que explica o alívio nas congestões nasais.

Tem ainda flavonoides, substâncias estimulantes da vesícula biliar, e princípios amargos que melhoram o trabalho do estômago.

Óleo Essencial de Hortelã-pimenta:

O óleo essencial de hortelã-pimenta é acrescentado a óleos de massagem para congestões de tórax, dores e febres provenientes de gripes, pode ser inalado para tratar congestões e náuseas. É usado em pastas de dentes para dar um sabor agradável.

Óleo Essencial de Hortelã-pimenta Benefícios:

Repelente natural:

Os carrapatos não são os únicos insetos que odeiam o óleo essencial de hortelã-pimenta. Na verdade, formigas, aranhas, baratas, mosquitos e até mesmo piolhos são repelidos.

Melhora a inflamação na pele:

O óleo essencial de hortelã-pimenta ajuda a aliviar a inflamação da pele. A mistura de óleos essenciais de hortelã e lavanda também pode melhorar o eczema e a psoríase quando aplicado topicamente.

Ajuda a tratar a acne:

Um dos melhores usos do óleo essencial de hortelã-pimenta é a aplicação na pele para tratar espinhas. Isso porque o óleo essencial de hortelã-pimenta possui propriedades antimicrobianas, sendo um excelente remédio caseiro.

Alivia a dor de cabeça:

O óleo essencial de hortelã-pimenta tem a capacidade de melhorar a circulação, acalmar o intestino e relaxar os músculos. Todas essas propriedades ajudam reduzir as dores de cabeça.

Um estudo de pesquisadores da Clínica Neurológica da Universidade de Kiel, na Alemanha, descobriu que uma combinação de óleos, incluindo o óleo essencial de hortelã-pimenta, teve “efeito analgésico significativo com uma redução na sensibilidade às dores de cabeça”, a aplicação foi feito na testa.

Alivia queimadura de sol:

O óleo essencial de hortelã-pimenta pode hidratar a pele queimada e aliviar a dor das queimaduras solares. Você pode misturar o óleo de hortelã-pimenta com um pouco de óleo de coco e aplicá-lo diretamente na área afetada.

Melhora o inchaço e a indigestão:

O óleo essencial de hortelã-pimenta é uma alternativa natural que pode substituir drogas como o Buscopan para relaxar os músculos do intestino, o que também pode reduzir o inchaço e gases. Experimente tomar chá de hortelã ou adicionar uma gota de óleo essencial de hortelã à sua água antes das refeições.

Melhora o hálito e reduz as cáries:

A hortelã-pimenta tem sido usada há mais de mil anos para refrescar a respiração naturalmente.

De acordo com estudos, o óleo essencial de hortelã-pimenta apresentou um desempenho melhor do que o dos produtos químicos para bochechos com clorexidina na redução das cáries.

Você pode fazer pasta de dente caseira, enxaguante bucal ou adicionar uma gota de óleo essencial de hortelã-pimenta sob a língua, seguida de um copo de água, pois isso também refresca o mau hálito.

Óleo essencial de hortelã-pimenta para cabelo:

O óleo essencial de hortelã-pimenta ajuda o cabelo a crescer, além de ser usado em muitos produtos de cuidados com o cabelo de alta qualidade porque ajuda a nutrir naturalmente os cabelos danificados.

Para isso, basta adicionar um pouco de óleo essencial de hortelã-pimenta ao seu xampu para ajudar a reduzir a queda capilar.

Na culinária, a hortelã-pimenta é uma escolha melhor para artes culinárias do que a menta.

As folhas frescas são acrescentadas a carnes, iogurte, saladas de frutas, salada vegetal e sopas. A hortelã-pimenta melhora o sabor de outras ervas medicinais.

Plantar algumas mudas de hortelã-pimenta em pequenas hortas é simples, vez que a planta é muito saudável e possui grande adaptabilidade.

A hortelã-pimenta tem uso científico comprovado como antidispéptico, antiflatulento e antiespasmódico.

A espécie Mentha spp (M. crispa, M. piperita ou M. villosa) faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Chá de Hortelã-pimenta Nome Popular:

Hortelã-pimenta, hortelã, hortelã-de-bala, hortelã-da-folha-miúda, menta-inglesa, hortelã-pimenta, hortelã-das-cozinhas.

Chá de Hortelã-pimenta Nome Científico:

Mentha piperita L.

Receita Chá de Hortelã-pimenta:

Componentes: folhas e sumidades floridas secas. 2 a 3 colheres

Quantidade: água 150 mL

Chá de Hortelã-pimenta Como Preparar:

Infusão. Usar 2 a 3 colheres de folhas em 1 xícara de água fervente.

Chá de Hortelã-pimenta Propriedades Medicinais:

Antidispéptico, antiflatulento, antiespasmódico, carminativa, eupéptica, estimulante, colagoga, estomáquica, antiemética, analgésica.

Chá de Hortelã-pimenta Para que Serve:

O chá de hortelã-pimenta é bom para combater cálculo biliar, cólica uterina, dor de garganta, espasmo gastro-intestinal, estômago (dor, acidez, gastrite, fortifica glândulas e nervos gástricos), gases, hemorroida, mau hálito, mucosidade, reumatismo, vermes, vômito e facilita a digestão.

Chá de Hortelã-pimenta Como Fazer:

Uso Interno. Acima de 12 anos. Infusão. Usar 2 ou 3 colheres de folhas secas, frescas ou trituradas em 1 xícara de água fervente. Tapar e deixar repousar durante 10 minutos. Este chá deve ser bebido 3 a 4 vezes por dia, e de preferência após ou entre as refeições.

Uso Interno. Suco. Para ajudar na digestão faça um suco misturando 1 colher (chá) rasa da erva em 1 copo de suco de laranja ou de abacaxi. Bata tudo no liquidificador ou faça um chá despejando 1 xícara de água fervente sobre 1 colher (sopa) de folhas de hortelã-pimenta. Abafe por 10 minutos e coe.

Atenção: nunca ferva a água junto com a planta, pois isso faz seu óleo essencial evaporar.

Chá de Hortelã-pimenta Efeitos Colaterais e Contraindicação:

A hortelã-pimenta é uma erva medicinal considerada muito segura e pode ser usada até mesmo pelas pessoas mais debilitadas.

Crianças pequenas não devem usar o óleo essencial, tampouco as mulheres grávidas e lactantes, uma vez que o óleo pode diminuir o fluxo de leite, é contraindicada para bebês.

O uso é contraindicado para pessoas com cálculos biliares e obstrução dos ductos biliares, danos hepáticos severos. Exagerar na dose aumenta a acidez estomacal.

Veja também:

Fontes Consultadas:

  1. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), 1ª ed. 2011.
  2. US National Library of Medicine (2010): Mentha piperita.
  3. Food Science and Technology (2011): Investigation of the effects of peppermint on the biochemical and anthropometric profile of university students.
  4. MELLO, E. C. C.; XAVIER FILHO, L. Plantas medicinais de uso popular no Estado de Sergipe. Aracaju, UNIT, 2000.
  5. The Plant List: Mentha piperita.
  6. Wikipédia: Hortelã-pimenta.
  7. LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil. Instituto Plantarum de Estudos da Flora Ltda: Nova Odessa – SP, 2002.
  8. ÁVILA, L. C. Índice terapêutico fitoterápico – ITF. 2 ed. Petrópolis, RJ, 2013.
  9. ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. 1ª edição. Isis Editora. 1998.
  10. TESKE, M.; TRENTINI, A. M.M. Herbarium compêndio de fitoterapia. 3 ed. Curitiba, 1997.
Share.

©Desenvolvido por  Loja Online Consultoria | 2014.