Chá de Malva: Combate Prisão de Ventre, Dor de Garganta, Solta o Catarro, Cicatrizante, Antisséptico

5

Chá de Malva: Combate Prisão de Ventre, Dor de Garganta, Solta o Catarro, Cicatrizante, Antisséptico

Chá de Malva: a Malva sylvestris é uma planta distribuída nas regiões tropicais, subtropicais e temperadas da África, Ásia e Europa.

Na Itália renascentista era considerada um antídoto contra todos os males.

Chá de Malva
Chá de Malva Combate Prisão de Ventre, Dor de Garganta, Solta o Catarro, Cicatrizante, Antisséptico

Benefícios do Chá de Malva:

A malva possui propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas que são muito eficazes no tratamento de problemas da região bucal.

O chá de malva é bom para combater prisão de ventre, dor de garganta, além de ajudar a soltar o catarro.

Outra maneira de aproveitar as propriedades benéficas das flores de malva é fazer um cataplasma com as folhas e flores amassadas, que podem ser aplicadas em picadas de inseto e feridas, pois possui ação cicatrizante.

Suas folhas combatem inflamações graças às mucilagens e à antocianina, compostos com propriedades antissépticas.

As mucilagens possuem grande capacidade de reter água, por isso o consumo do chá de malva melhora o trânsito intestinal, previne e trata a prisão de ventre.

As mucilagens também agem como calmantes das mucosas e ajudam a reduzir as inflamações nos tecidos.

A malva é uma planta medicinal rica em camazuleno, um anti-inflamatório, e por isso seu chá é indicado para úlceras gástricas.

Há muitos cremes dentais vendidos em farmácias e supermercados que têm a planta em sua composição.

A malva tem uso científico comprovado como expectorante, anti-inflamatório e antisséptico da cavidade bucal.

A espécie Malva sylvestris faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Malva Nome Popular:

Malva, malva-grande, malva-azul, malva-de-botica, malva-silvestre.

Malva Nome Científico:

Malva sylvestris L.

Receita do Chá de Malva (Uso Interno):

Componentes: folhas e flores secas. 2 g

Quantidade: água 150 mL

Receita Chá de Malva (Uso Externo):

Componentes: folhas e flores secas. 6 g

Quantidade: água 150 mL

Como Preparar Chá de Malva:

Infusão. Usar 2 g de folhas e flores secas em uma xícara de água fervente.

Chá de Malva Propriedades Medicinais:

Adstringente, mucilaginoso, expectorante, cicatrizante, suavizante, laxativa, anti-inflamatório e antisséptico da cavidade bucal.

Para que Serve o Chá de Malva:

Bronquite, tosse, asma, enfisema pulmonar, coqueluche, colite, constipação intestinal, contusões, afecções (pele, boca, garganta), furúnculos, abscessos, picada de insetos.

É usada em compressas para problemas de pele, sendo um bom hidratante, além de compostos com propriedades antissépticas e cicatrizante.

Como Fazer Chá de Malva:

Uso Interno. Acima de 12 anos. Infusão. Expectorante. Fórmula preparada com 2 g de folhas e flores secas em uma xícara de água. Tomar uma xícara do chá logo após o preparo, 4 vezes ao dia.

Uso Externo. Acima de 12 anos. Infusão. Anti-inflamatório e Antisséptico da Cavidade Oral. Fórmula preparada com 6 g de folhas e flores secas em uma xícara de água. Após higienização da parte afetada, aplicar o chá com auxílio de algodão sobre o local, 3 vezes ao dia. Fazer bochechos ou gargarejos, 3 vezes ao dia.

Chá de Malva Efeitos Colaterais e Contraindicação:

Em caso de aparecimento de reações alérgicas, suspender o uso imediatamente.

O principal efeito colateral da malva é a intoxicação, quando utilizada em grandes doses. Além disso, o chá de malva está contraindicado durante a gravidez e a amamentação.

A malva pode ainda comprometer a absorção de outros medicamentos que contenham mucilagens e, por isso, deve fazer-se um intervalo de pelo menos 1 hora entre a ingestão do chá de malva e o uso de outros medicamentos.

Consumida em excesso, a malva torna-se muito laxativa e pode causar diarreia.

chá de maçã

Veja também:

Fontes Consultadas:

  1. FRANCO, L.C.L.; LEITE, R. C. Fitoterapia para a mulher. Corpomente, Curitiba, 375p. 2004.
  2. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), 1ª ed. 2011.
  3. The Plant List: Malva sylvestris.
  4. Wikipédia: Malva sylvestris.
Share.

©Desenvolvido por  Loja Online Consultoria | 2014.